RIP, Sai Baba

Tumblr_lk9ug3pevw1qgloxao1_500_large

Eu costumo evitar falar sobre religião em textos, pois respeito as crenças (ou a falta delas) de cada um. Essa semana, porém, fui informada de uma notícia que queria compartilhar.

Poucos de vocês sabem, mas no último domingo, no Domingo de Páscoa, faleceu uma das almas mais bondosas que viveram em nosso planeta nos últimos anos. O líder espiritual Sathya Sai Baba de 84 anos era conhecido no mundo inteiro por suas mensagens e ensinamentos sobre a paz interior e o amor. Nascido em um vilarejo na Índia, onde viveu até sua morte, Baba recebia milhares de visitantes em sua “Morada da Paz Suprema” que admiravam seus propósitos.

Baba, porém, ao contrário do que muitos possam pensar, não direcionava suas mensagens para uma religião ou tentava criar uma nova. Ele era adepto à Religião do Amor e, por isso, atraía seguidores de diversas crenças. O Avatar defendia apenas a sinceridade da fé, independente da religião à que fosse dirigida.

Sai Baba estava hospitalizado à um mês e sua morte foi  causada por falência múltipla dos órgãos. Seu desencarne foi uma perda lamentável para todos aqueles que acreditavam em suas palavras, mas podemos crer que sua vida não foi em vão. Seus ensinamentos continuarão a ser passados e ele, com certeza, continuará trabalhando para a paz no mundo, esteja onde estiver.

“Deus não está em religiões, mas em sua mente e em seu coração.” Sathya Sai Baba

Anúncios

Novidades

Olá, queridos. É raro eu escrever algo assim, diretamente, mas andei querendo contar uma novidade para vocês desde que a recebi. Estive muito feliz essa semana por causa dela e nem conseguia acreditar direito. Acho que agora já é seguro compartilhá-la sem que eu mesma duvide de sua veracidade, risos.

Muitos já devem ter visto no meu twitter ou até no próprio site, mas, para os que não sabem, dia 30 de dezembro, eu enviei uma ficha de inscrição para a Bruna Vieira, dona do Depois dos Quinze, em uma tentativa de entrar para a equipe do site. Mal acreditei quando a resposta veio, dizendo que ela tinha adorado meus textos e que eu já podia me considerar uma “Depois dos Quinze”. Eu torci muito e não deixei de acreditar em nenhum momento, mas ver a notícia assim foi muito mais legal do que a torcida por ela.

Minha entrada só se tornou oficial na segunda-feira (17/01), quando a Br postou no site sobre a nova equipe e publicou uma das matérias que enviei como post de simulação.

Estou muito agradecida com os comentários das leitoras do site e, também, por ter visto várias das frases do texto postadas no twitter. Mas fiquei feliz mesmo com os comentários da outra matéria que mandei na inscrição, postada na quarta-feira (19/01). Ela fala sobre a escolha de profissão e fiquei contente de ver que as meninas adoraram as dicas e que, as que já tinham passado por aquele processo, concordaram que era o melhor jeito de se decidir.

Deixo, então, meus agradecimentos por todo o apoio, todas as palavras de carinho que recebi no meu twitter e nos comentários das matérias, e abaixo segue o link para as minhas matérias no DDQ.

A verdade sobre os contos de fadas – 17/01

Decidindo seu futuro – 19/01

Ah! E podem ficar tranquilos, eu entrei no DDQ, mas não vou abandonar o BDI de jeito nenhum. Risos. =)

PrayForTheWorld

Os desastres ambientais que vêm abalando nosso mundo pouco a pouco, já não são mais novidades. Há um ano atrás, ainda estávamos chocados com o desmoronamento em Angra dos Reis, durante a virada do ano, quando outra séria situação ocorreu: o terremoto no Haiti.

O mundo parou diante da situação. Ajuda de todos os lugares foi enviada e pensamentos de força encheram os que a tudo assistiam. Foi o maior desastre de 2010, deixando a capital do país devastada, mais de 230 mil mortos e 300 mil feridos.

Mal as coisas se acalmaram, veio outro tremor que chocou os brasileiros, devido à sua proximidade e força. Apesar de em maior grau que o terremoto no Haiti, o terremoto no Chile deixa bem menos vítimas: 800 mortos. Entretanto, 2 milhões de pessoas foram afetadas e chegou-se até mesmo a sentir a repercussão em território brasileiro.

Março chegou tranquilo, somente para dar tempo de tudo se ajeitar e vir mais outro acontecimento: as chuvas no Rio de Janeiro, em abril de 2010. A região metropolitana foi atingida com tudo: 200 pessoas foram mortas, escolas tiveram que paralisar, os cariocas ficaram chocados. Eu posso dizer, já que assisti da minha janela carros e ônibus virarem com a correnteza da enchente e um menino solitário sentar-se no muro do meu prédio enquanto esperava que tudo acabasse. Da TV, assisti, pela primeira vez, a Lagoa Rodrigo de Freitas encher o suficiente para transbordar. Niterói teve o pior deslizamento, que além de muitas mortes, deu origem a um grande tumulto quando se descobriu a causa do desmoronamento: as casas da favela soterrada foram construídas em cima de um lixão.

Logo depois, tempestades também afetam o outro lado do mundo, deixando 89 mortos, 225 feridos e 67 mil casas destruídas na Índia. E, em maio, elas atingem os EUA e a Guatemala.

Os desejos de que 2011 fosse diferente não se realizaram. Os desastres não foram tão fortes quanto em Janeiro de 2010, mas, ainda assim, eles apareceram.

O degelo e as chuvas deixaram cidades da Alemanha inundadas, mas é no Rio, novamente, que as atenções estão focadas. Nessa última terça-feira (11), chuvas fortíssimas abalaram a região serrana do estado. Até agora, o número de mortos é de 513, sendo 228 deles somente na cidade de Teresópolis e 225, em Nova Friburgo.

Para quem não viu nos jornais, um cinegrafista da Globo filmou o resgate de uma mulher na cidade de São José do Vale do Rio Preto, que me deixou completamente chocada. O rio do município transbordou e, em vão, dona Elair tenta fugir para seu terraço, onde a correnteza atinge rapidamente.

Independente de onde, o que é importa é que a natureza não resolveu se rebelar sozinha. As chuvas, desmoronamentos e enchentes só acontecem porque não sabemos parar de destruir o mundo. Os culpados de nossas próprias desgraças somos nós mesmos. Por isso, não fique aí parado enquanto nosso planeta é destruído. Ajude você também. Seja evitando jogar lixo na rua, seja participando de ONGs de proteção ao meio ambiente. O mundo precisa da nossa ajuda.

8 anos depois

Queria ter escrito essa postagem quando a notícia saiu, mas estavam tão inshock que não conseguia transmitir em palavras tudo o que se passava pela minha cabeça. Mas calma! Não é nada ruim, não. Aliás, é até muito bom – pelo menos, para os fãs da cantora, Avril Lavigne.

Tumblr_le8zrcjrk21qfsrx7o1_400_large

Vocês já devem ter percebido que eu sou apaixonada por ela e por suas músicas. E, pelo que li nos comentários da outra notícia sobre a loirinha, muitos de vocês também costumavam ser (ou gostavam) quando ela ainda era rebelde e roqueira.

Pois bem. Alguém aí se lembra de uma tal faixa 5, chamada Mobile? Há 8 anos atrás, surgiu o boato de que Mobile teria um vídeo e se tornaria single. O tempo passou, o clipe nunca saiu e todo mundo deixou para lá, achando que era somente um rumor.

Rufem os tambores, senhores, porque o boato era verdadeiro, sim! E o clipe? Saiu tarde, mas saiu.

*

Dê play no vídeo e clique em “Assista no YouTube”.

Eu quase chorei de felicidade quando vi. Deu para matar uma saudadezinha daquela Avril de 17 anos que todo mundo costumava adorar.

E aí, o que acharam?

Avril is back!

Depois de 11 meses de silêncio, finalmente teremos uma novidade saindo fresquinha do novo álbum de Avril Lavigne, o Goodbye Lullaby. A cantora apresentará o single What The Hell durante o programa Dick Clark’s New Year’s Rockin’ Eve, amanhã, dia 1º de janeiro de 2011.

Os fãs da loirinha devem estar realmente ansiosos. Eu sei que eu estou. O quarto álbum de Avril vai ser lançado após 4 anos desde The Best Damn Thing e eu mal posso esperar. Nunca ansiei por março tanto quanto agora!

Enquanto os lançamentos não saem, temos que nos contentar em ouvir Alice e os 30 segundos de WTH.

Aproveite e ajude a manter as tags AvrilLavigne e WhatTheHell nos Trending Topics do Twitter!

Avril Lavigne – What The Hell (Preview)

Avril Lavigne – Alice (Underground)

 

ATUALIZADO!

Para os que aguardaram ansiosos, What The Hell lançou hoje e já está disponível para download no facebook da Avril.

Clique aqui para baixar.

E, então, o que acharam? Eu, particularmente, amei.