PrayForTheWorld

Os desastres ambientais que vêm abalando nosso mundo pouco a pouco, já não são mais novidades. Há um ano atrás, ainda estávamos chocados com o desmoronamento em Angra dos Reis, durante a virada do ano, quando outra séria situação ocorreu: o terremoto no Haiti.

O mundo parou diante da situação. Ajuda de todos os lugares foi enviada e pensamentos de força encheram os que a tudo assistiam. Foi o maior desastre de 2010, deixando a capital do país devastada, mais de 230 mil mortos e 300 mil feridos.

Mal as coisas se acalmaram, veio outro tremor que chocou os brasileiros, devido à sua proximidade e força. Apesar de em maior grau que o terremoto no Haiti, o terremoto no Chile deixa bem menos vítimas: 800 mortos. Entretanto, 2 milhões de pessoas foram afetadas e chegou-se até mesmo a sentir a repercussão em território brasileiro.

Março chegou tranquilo, somente para dar tempo de tudo se ajeitar e vir mais outro acontecimento: as chuvas no Rio de Janeiro, em abril de 2010. A região metropolitana foi atingida com tudo: 200 pessoas foram mortas, escolas tiveram que paralisar, os cariocas ficaram chocados. Eu posso dizer, já que assisti da minha janela carros e ônibus virarem com a correnteza da enchente e um menino solitário sentar-se no muro do meu prédio enquanto esperava que tudo acabasse. Da TV, assisti, pela primeira vez, a Lagoa Rodrigo de Freitas encher o suficiente para transbordar. Niterói teve o pior deslizamento, que além de muitas mortes, deu origem a um grande tumulto quando se descobriu a causa do desmoronamento: as casas da favela soterrada foram construídas em cima de um lixão.

Logo depois, tempestades também afetam o outro lado do mundo, deixando 89 mortos, 225 feridos e 67 mil casas destruídas na Índia. E, em maio, elas atingem os EUA e a Guatemala.

Os desejos de que 2011 fosse diferente não se realizaram. Os desastres não foram tão fortes quanto em Janeiro de 2010, mas, ainda assim, eles apareceram.

O degelo e as chuvas deixaram cidades da Alemanha inundadas, mas é no Rio, novamente, que as atenções estão focadas. Nessa última terça-feira (11), chuvas fortíssimas abalaram a região serrana do estado. Até agora, o número de mortos é de 513, sendo 228 deles somente na cidade de Teresópolis e 225, em Nova Friburgo.

Para quem não viu nos jornais, um cinegrafista da Globo filmou o resgate de uma mulher na cidade de São José do Vale do Rio Preto, que me deixou completamente chocada. O rio do município transbordou e, em vão, dona Elair tenta fugir para seu terraço, onde a correnteza atinge rapidamente.

Independente de onde, o que é importa é que a natureza não resolveu se rebelar sozinha. As chuvas, desmoronamentos e enchentes só acontecem porque não sabemos parar de destruir o mundo. Os culpados de nossas próprias desgraças somos nós mesmos. Por isso, não fique aí parado enquanto nosso planeta é destruído. Ajude você também. Seja evitando jogar lixo na rua, seja participando de ONGs de proteção ao meio ambiente. O mundo precisa da nossa ajuda.

Anúncios

4 pensamentos sobre “PrayForTheWorld

  1. foi bombástico no Ano Passado,agora mais chuvas e mais desastres é nescessário rever muitas coisas mas é um problema do Planeta e a culpa infelizmente é do próprio ser humano…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s